Temperos e Ervas – O Toque Perfeito

Como Usar Temperos ao Cozinhar  –  Parte I

Criado por Revisões wikiHow, Dssantos, Rafael Bemerguy

Os temperos têm sido utilizados há milhares de anos no mundo inteiro. Eles foram introduzidos pela primeira vez na cozinha ocidental pelos romanos, durante o comércio de especiarias no oriente. A moda de usar temperos na gastronomia teve altos e baixos até ser revitalizada durante a Idade Média. Além de mudar o curso da história através do comércio e de conquistas, os temperos têm dado sabor à nossa comida, saúde ao nosso corpo e nos cativado desde então.

Temperos não têm apenas um ótimo sabor por conta própria, mas também podem agir como um conservante e fortalecer o sabor de ingredientes específicos…. Para ser um bom cozinheiro, é importante explorar os temperos e saber quando usá-los para seu proveito.

 

 

Aprenda a diferença entre uma erva e um tempero. Geralmente, um tempero é definido como as sementes ou cápsulas (alcaravia, cardamomo), flores ou cabeças de flores e estigmas (açafrão), botões (cravo), bagas aromáticas (pimenta em grão), frutas (páprica), raízes (gengibre), caules ou cascas (canela) e outras partes de uma planta. Normalmente, são consideradas ervas as folhas perfumadas e, ocasionalmente, os caules verdes de uma planta se ela for jovem ou não tiver caules lenhosos (salsa, alecrim, manjericão, etc.).[1][2]

Várias plantas são ervas e temperos. Por exemplo, a folha de coentro (ou cilantro) é uma erva, mas os caules, flores, sementes ou raízes da mesma planta são normalmente consideradas temperos.

 

 

Explore os diferentes sabores dos temperos e pense em como você pode misturá-los ou juntar eles com outros ingredientes para potencializar seu sabor ou tornar uma refeição mais saborosa. Temperos diferentes têm características diferentes, sendo que alguns têm mais de uma qualidade. Aqui estão alguns exemplos dessas qualidades

 

Leve em consideração o sabor que os temperos terão em conjunto com outros ingredientes. Por exemplo, temperos doces costumam combinar com coisas doces, como noz-moscada, cravo, baunilha, canela, cardamomo e pimenta da Jamaica em bolos, biscoitos, compotas etc. Por isso, normalmente eles são classificados como temperos doces. Mas gostos e modas mudam e temperos doces podem passar a combinar com coisas tipicamente salgadas, como em ensopados, guisados, legumes assados (especialmente batata doce) e molhos que geralmente usam temperos doces em pratos tipicamente salgados. Não é adicionado açúcar, o que faz com que os temperos funcionem tanto com pratos doces quanto com os salgados.

 

A vantagem das misturas de temperos modernas é que elas são pré-preparadas para a sua conveniência, mas a desvantagem é que pode ser difícil ajustá-las ao seu gosto se você não tiver experiência com temperos. Se você nunca criou uma mistura de temperos do zero antes ou nunca experimentou com temperos, pode ser muito difícil para você corrigir ou modificar um prato que não fique com um gosto bom ou tão bom quanto poderia ser. O principal benefício extra é que, às vezes, uma refeição pode ser planejada, mas quando acontece um problema, como um ingrediente que passou da data de validade ou um prato que não saiu como planejado, o uso de temperos pode transformar uma refeição falha em uma refeição totalmente diferente (e bem sucedida).


Descubra como o sabor dos temperos pode mudar após eles serem processados.
 Por exemplo, se o alho for lentamente assado inteiro com pele, ele fica muito suave e doce, mas picado finamente cru, fica bem picante. Se ficar “mergulhado” como em um caldo, pode ser muito rico em sabor, mas é muito forte se for queimado.

 

 

Procure comprar seus temperos inteiros, se possível. Às vezes, fazer isso acaba sendo muito mais caro (como no caso das favas de baunilha, ao invés de pasta de baunilha ou extratos) ou gengibre fresco etc, mas, outras vezes, a diferença é pequena, como no caso de canela em pau, sementes integrais e temperos como cominho, erva-doce, cravo, anis ou sementes de coentro. A diferença que isso faz na qualidade da refeição é enorme e pedaços grandes de temperos (como anis ou canela em pau) sempre podem ser removidos antes de servir.

 

Isso ocorre porque temperos não moídos tendem a ter uma área de superfície muito maior exposta ao ar, então seus óleos essenciais ou compostos aromatizantes acabam sendo perdidos mais facilmente. Eles também podem ser prejudicados devido à exposição à luz brilhante nos supermercados, se eles ficarem armazenados por algum tempo. Isto significa que, em boas partes das vezes, os temperos ficam envelhecidos, mesmo quando são novos. A regra a seguir é: se qualquer tempero tiver um cheiro apagado e não de fresco, então ele está velho e não vale a pena usar. Triturar seus próprios temperos é uma experiência divertida.

 

Temperos inteiros funcionam melhor em pratos que são lentamente cozidos (alguns temperos ficam amargos se cozinharem por muito tempo, por isso o cozimento lento é importante). Temperos em pó são fáceis de adicionar ao prato em qualquer fase do processo de cozimento.

 

FONTE: wikihow.com

Tempero V

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s